Neves pede reforma das instalações do Centro de Referência Indígena

16/05/2022 - Por: ASCOM - Iramar Ferreira - MTB.804/MS - Visitas: 302

Compartilhe:

O pedido de reforma das instalações e calçamento do Centro de Referência Indígena de Aquidauana, localizado na rua Estevão Alves Correa, próximo à Estação Rodoviária, foi feito pelo vereador Valter Neves (PSDB) ao secretário municipal de Planejamento, Urbanismo e Obras Públicas, Ronaldo Ângelo, por meio de Indicação apresentada em plenário.

Conforme justificativa do parlamentar, a agricultura indígena vem desenhando sua história há mais de 30 anos, movimentado e abastecendo o comércio em Aquidauana com frutas e verduras plantadas nas aldeias.

Hoje, revela, as feirantes têm dois espaços para comercialização de seus produtos. Um próximo à estação ferroviária e outro nas proximidades da estação rodoviária. Algumas também se deslocam para Anastácio e outras costumam ir até a capital - Campo Grande.

“Os produtos indígenas são comercializados diariamente nas feirinhas- como são conhecidos os espaços de venda. Chegam à cidade às 4h e só retornam para a aldeia às 15h. Algumas já possuem clientela fixa e outras ainda abastecem alguns supermercados, padarias e lanchonetes”, informa.

Nas feiras, acrescenta,  são comercializados a mandioca - produto forte da região; frutas, verduras diversas, leite, doces e afins, dependendo do período de produção e colheita, o que trazem  qualidade na mesa da nossa população.

“A movimentação diária das feirantes demonstra a contribuição das aldeias para o fluxo do alimento na cidade, sem contar a circulação de

dinheiro vindo dos indígenas no comércio de Aquidauana. Com a venda dos produtos, os indígenas compram no comércio local roupas, calçados, e alguns alimentos que não são produzidos na aldeia, além de remédios e exames, por exemplo”, completa.

Considerando de grande relevância a presença das feirantes indígenas  na cidade e o impacto que elas causam no comércio local, Valter Neves solicita a reforma na estrutura física e o calçamento desse centro.

“A última reforma foi realizada em agosto de 2006, e uma reforma no local daria mais qualidade de vida e um espaço totalmente renovado criaria um ambiente agradável atraindo a comunidade para consumir os produtos da agricultura indígena”, conclui.