Aprovado projeto sobre Programa de Ações Preventivas à Depressão, Automutilação e Suicídio

15/09/2021 - Por: ASCOM - Iramar Ferreira - MTB.804/MS - Visitas: 319

Compartilhe:

Projeto de lei, de autoria dos vereadores, professor Clériton Alvarenga (Democratas) e Humberto Torres (PSDB), que dispõe sobre o Programa de Ações Preventivas à Depressão, Automutilação e ao Suicídio entre crianças e adolescentes na Reme (Rede Municipal de Ensino), foi aprovado em segundo turno de discussão e votação em plenário.

Conforme justificativa do projeto, no mundo cerca de 800 mil pessoas se suicidam por ano, o que corresponde a uma morte a cada 40 segundos. O suicídio está entre as cinco maiores causas de morte.

Ainda de acordo com o projeto, a prevenção do suicídio entre crianças e adolescentes é de alta prioridade. Devido ao fato de que em muitas regiões e países a maioria dos adolescentes dessa idade frequenta a escola, Clériton considera ser um excelente local para se desenvolver a prevenção.

“Na maioria das vezes, o suicídio é o desfecho de um sofrimento prolongado e alimentado por outras doenças como a depressão. É um problema de múltiplas causas”, explica

Para o vereador Humberto, a melhor abordagem para a prevenção do suicídio na escola é a elaboração de um trabalho em grupo que inclui professores, médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais da própria escola, trabalhando em conjunto com agentes da comunidade.

“A escola desempenha um papel importante na prevenção ao suicídio e na saúde mental das crianças e adolescentes. Isso porque é comum que os alunos demonstrem sinais de sofrimento no ambiente escolar. Pensando nisso, apresentamos este presente projeto de lei”, acrescenta.

Segundo Clériton, qualificar os educadores faz diferença, pois os professores podem identificar os sinais e comunicar a direção e aos familiares imediatamente, prevenindo a ocorrência do suicídio.

O projeto segue para o Executivo Municipal a fim de ser analisado, sancionado ou vetado pelo prefeito Odilon Ribeiro (PSDB), conforme legislação vigente.