Projeto declara patrimônio cultural de natureza imaterial a Marcha de Jesus

02/05/2024 - Por: ASCOM - Visitas: 215

Compartilhe:

O projeto de lei, de autoria do vereador Anderson Meireles (PSD), que declara patrimônio cultural de natureza imaterial do município de Aquidauana o evento religioso denominado “Marcha para Jesus”, foi aprovado por unanimidade pelos vereadores presentes, em Sessão Legislativa.

Conforme justificativa do parlamentar, o evento, que   reúne igrejas cristãs do país e do mundo, aberto à população, tem como intuito promover a união e comunhão dos fiéis.

Segundo ele revela, apesar de tantos anos, a Marcha continua impactando e reunindo um grande público, o que demonstra o crescimento do evangelho no Brasil.

“Estima-se que ela ocorra em mais de 200 países. Em uma das suas mais recentes edições no Brasil, foi mobilizado 3 milhões de pessoas nas ruas para louvar, reconhecer e engradecer o nome do Senhor Jesus”, lembra o vereador.

Meireles informa, que o evento chegou ao Brasil em  1993 e, naquele ano, a Marcha para Jesus foi realizada em mais de 100 cidades em várias regiões do Brasil.

Para o vereador, a importância e o valor cultural do evento já foram reconhecidos em âmbito federal e mantêm no calendário oficial da união desde 2009. A Lei 12.025 foi aprovada e sancionada em  3 de setembro de 2009.

 

Em Aquidauana, a Marcha para Jesus foi instituída por meio da Lei Ordinária 2.301/2013, e realizada com a participação de fiéis de várias denominações.

A aprovação desse projeto de lei, completa Meireles,  proporcionará maior prestígio e notoriedade ao evento, o que atrairá mais participantes, bem como, favorecerá a economia da cidade.

O vereador ressalta que o presente projeto visa a valorização da paz e do amor na manifestação religiosa promovida por todos os cristãos espalhados pelo município de Aquidauana, o que repercutirá  positivamente na imagem cidade.

“A Marcha para Jesus é uma genuína expressão da cultura gospel em nosso município. Em um país com mais de 70 milhões de evangélicos, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a força das nossas manifestações deve encontrar amparo no escopo de tradicionais eventos culturais de Aquidauana”, finaliza.

O projeto segue para o Executivo Municipal a fim de ser analisado, sancionado ou vetado pelo prefeito Odilon Ribeiro (PSDB), conforme legislação municipal.