Estudos são sugeridos à Agesul para avaliar os impactos de carretas pela MS/450

18/04/2024 - Por: ASCOM - Visitas: 476

Compartilhe:

O vereador Humberto Torres (PSDB), por meio do Ofício de nº 018/2024 (Gabinete), solicita ao diretor da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), Mauro Azambuja Rondon, um estudo minucioso sobre o impacto negativo do trânsito pesado da Empresa Suzano S/A pela rodovia ecológica de Piraputanga, que vem gerando inquietação e insegurança aos seus usuários.

Conforme justificativa do parlamentar, a  Estrada Parque de Piraputanga é exclusivamente para o meio turístico e não foi projetada  para escoamento de cargas pesadas. A região, segundo ele,  é classificada como Unidade de Conservação, ou seja, a estrada  não póde comportar o tráfego de cargas pesadas.

Ele conta, que essa empresa faz o transporte de eucalipto extraído na região com veículos longos (bitrens). De acordo com o  Instituto SOS Pantanal, 20 carretas trafegam  por dia com cargas de 74 toneladas, o que têm ocasionado  um impacto gigantesco no meio ambiente e turismo  da  região.

Contudo, acrescenta, foram feitas inúmeras reuniões com opções de outros itinerários onde não causariam transtornos em toda região, porém a referida empresa para ganhar tempo e lucro recorreu para que seja feito o escoamento por aquela  estrada com  reflexos  negativos  no tocante a diminuição do fluxo turístico. “ É inadmissível  que isso ocorra em nosso santuário ecológico”, lamenta.

A Empresa Suzano, conforme as solicitações do Conselho (Estrada Parque), também não cumpriu nem o mínimo das recomendações como a redução do tráfego nos fins de semana e feriados, operando de forma normal.

Portanto, o vereador Humberto reitera com urgência à Agesul, estudo técnico (Impacto turístico e ambiental), assim como,  a fiscalização nas ações mitigatórias definidas.