Projeto  obriga as ESF’s oferecerem treinamento de aplicação da manobra de Heimlich

01/04/2022 - Por: ASCOM - Iramar Ferreira - MTB.804/MS - Visitas: 536

Compartilhe:

Projeto de lei, de autoria do vereador/professor Clériton Alvarenga (PP), dispõe  sobre a obrigatoriedade das unidades das ESF’s (Estratégias de Saúde das Famílias) de Aquidauana oferecerem treinamento de aplicação da manobra de Heimlich.

A manobra de Heimlich, explica,  é uma técnica de primeiros socorros utilizada em casos de emergência voltados para situações de engasgamento, aspiração de corpo estranho e prevenção de morte súbita aos neonatos.

Ele explica ainda, que a sufocação ou obstrução das vias aéreas é a primeira causa de morte acidental de bebês até um ano de idade. De acordo dos dados da SBPA – Sociedade Brasileira de Pediatria, 15 bebês morrem por dia em consequência desse tipo de acidente doméstico. No Brasil, mais de 700 crianças morrem vitimas de sufocações ou engasgamento.

“A manobra é um procedimento a ser feito nos casos em que a criança está inconsciente. Ela consiste na compressão abdominal capaz de desobstruir as vias aéreas do bebê pela descompressão do diafragma, órgão responsável por regular a entrada e a saída de ar do corpo humano”, destaca.

Neste viés, acrescenta, a morte do recém-nascido pode ser evitada por meio de medidas preventivas simples, à luz de orientação e treinamento dos pais e/ou responsáveis.

Contudo, completa, tratam-se de medidas que, infelizmente, hoje, não são de conhecimento de todos, e que ao se depararem com situação emergencial de engasgamento, na tentativa de salvar o neonato, acabam por fazer manobras ineficazes ou tardias, ou mesmo não conseguem buscar auxílio médico a tempo, podendo ocasionar o óbito do recém-nascido.

Ele está convicto que essa medida  representa um grande avanço na promoção da saúde pública do município, podendo potencialmente salvar um número incontável de vidas.

O projeto, lido em Sessão Legislativa, será encaminhado às Comissões Permanentes e Temáticas da Casa a fim de receber parecer jurídico antes de ser deliberado em plenário.