Projeto institui o Programa de Prevenção e Tratamento de Diabetes

20/09/2021 - Por: ASCOM - Iramar Ferreira - MTB.804/MS - Visitas: 69

Compartilhe:

O projeto de lei, que institui o Programa de Prevenção e Tratamento ao Diabetes nas creches e Rede Municipal de Ensino (Reme), foi apresentado e lido em Sessão Legislativa.

Conforme justificativa do projeto, classificado como doença crônica, o diabetes atinge mais de 882 milhões de pessoas no mundo inteiro. O Brasil é, segundo apurado,  o quarto país com mais casos registrados – o índice beira os 12 milhões. Desse total, a Associação de Diabetes Juvenil (ADJ) estima que cerca de um milhão sejam crianças.

De acordo com ele, o diabetes é uma doença silenciosa e muitas vezes se manifesta já com sintomas graves e irreversíveis o que aumenta a mortalidade e morbidade, por isso, é importante que haja identificação o quanto antes para início do tratamento.

O diabetes tipo 1, esclarece,  é uma das doenças crônicas mais prevalentes entre crianças e adolescentes e geralmente, é diagnosticado entre os 7 e os 15 anos de idade, mas, nos últimos anos, estamos observando casos em menores de 6 anos.

“Muitas vezes os pais não têm levado seus filhos para fazer uma avaliação médica periódica, o que poderia detectar um diagnóstico inicial de diabetes e início rápido de tratamento”, completa.

Para ele, a escola vai desenvolver um importante papel nesse sentido, como a de ajudar os pais a identificar possíveis sintomas do diabetes nos alunos, e encaminhá-los rapidamente para uma avaliação médica.

“É importante que haja integração das diferentes fontes que formam a rede de proteção dessas crianças e adolescentes. Em especial pais e familiares, por meio  das orientações da equipe de saúde, que devem manter a escola ciente das especificidades e necessidades do aluno com diabetes”, explica.

A escola, por sua vez, conclui,  deve estar atenta às orientações dos responsáveis e profissionais da saúde, garantindo que seus alunos com diabetes possam focar a atenção no rendimento escolar, estando amparados em suas necessidades especiais.

O projeto se encontra nas Comissões Permanentes da Câmara Municipal para avaliação jurídica antes de seguir ao plenário para discussão e votação.