Humberto: projeto institui a Semana de Valorização da Família

02/09/2021 - Por: ASCOM - Iramar Ferreira - MTB.804/MS - Visitas: 202

Compartilhe:

O projeto de lei, que institui a “Semana de Valorização da Família”, no município, de autoria do vereador Humberto Torres (PSDB), foi lido em Sessão legislativa.

De acordo com o autor, hoje a sociedade se encontra em um  processo permanente de transformação, o que afeta diretamente seus valores. Infelizmente, acrescenta,  alguns valores importantes que forjam caráter, deveres e direitos, que se reproduzem no seio familiar são abalados.

Ciente desse quadro, ele apresenta esse projeto que  busca realçar o fortalecimento familiar, por meio de apoio e incentivo do Poder Público.

Ele  ressalta,  que na vida humana não há nada que exerça maior influência sobre a pessoa do que a família, tanto para o bem como para o mal.

Humberto enaltece a figura de  Madre Teresa de Calcutá, que  deixou escrito:

“ O amor começa em casa; o amor vive nos lares, e é por causa da sua falta que há hoje tanto sofrimento e tanta infelicidade no mundo. Se ouvirmos Jesus, Ele dir-nos-á aquilo que disse outrora: Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei.

 Ele amou-nos através do sofrimento, morrendo na cruz por nós; se queremos amar os outros e trazer de novo esse amor para a vida, devemos começar em casa. Devemos tornar as nossas casas centros de compaixão e perdão permanentes.

As pessoas, hoje, parecem viver terrivelmente apressadas na ânsia de grandes desenvolvimentos, de grandes riquezas, eu sei lá; por isso as crianças têm pouco tempo para os seus pais, os pais, muito pouco tempo um para o outro e para elas, e é nas famílias que começa o desmoronamento da paz no mundo.

·

Célula base da sociedade, se degenera, toda a sociedade vai sofrer com isso. Basta uma família não educar em condições os filhos para haver problemas numa comunidade.

Apesar da crise por que passa a família, há também sinais positivos que é preciso valorizar: um maior respeito pelas crianças, uma maior partilha de tarefas domésticas e uma maior atenção aos direitos de cada um por parte da sociedade.

Parece consensual a ideia de que é nas famílias que os seus membros aprendem a amar e a ser felizes. Ou então, tarde ou nunca o conseguirão”.

O projeto encontra-se nas Comissões Permanentes da Casa de Leis a fim de ser analisado do ponto de vista legal e constitucional antes de ser inserido na pauta de discussão e votação em plenário.